LetraBandido Velho

Allen Halloween

Última atualização em: 22 de julho de 2017
Nenhuma tradução disponívelNenhuma tradução disponível
Detectamos alguns problemas
Alfaticio Alfredo Muchanga sugeriu alterações para esta letra.

, Esta é a história de um velho G, you know Do meu bairro, do teu bairro Ou de um bairro por aí De Odivelas até Paris É nós, K Niggas meteram fato e sapato pa′ falar com o juiz Pagaram ao advogado mais caro do país O juiz deu-lhes um saco de rebuçados envenenados a cada G Eu comi 10 rebuçados e um dia saí Velhos demais pa' voltar à street Casado, sem dinheiro pá′ minha velhice Mas o tempo que me resta eu vou viver em peace Tirar os meus putos da mão da police Snitches, crikas bitch ass, não stress Mano até morrer, eu não perdoo esses faggot ass Às vezes digo aos miúdos tudo aquilo que eu vi e sofri Mas ninguém presta atenção, ninguém ouve, irmão Ninguém ouve Ninguém ouve Ninguém ouve, irmão Ontem um amigo meu disse que viu o meu benjamin Fumado, a andar na street, rodead de OG's Obrigado amigo, bons olhos viram o meu fim Jeová, não deixes que o meu menino siga o nosso caminho Putos crescem na ilusão que hão de ser bandidos Grão a grão sucessos vão, vão enchendo o livro E só percebem quantos são, quando são detidos Os pombos voam para ti como se fosses milho Eu sei meu filho, eu sei o que é que tu queres fazer Aquilo que tu queres fazer, é aquilo que eu 'tou a tentar esquecer A banhada que ′tás a planear, já muitos a tentaram dar Mas nada te faz parar, se calhar pode resultar "Quem não arrisca, não petisca", ya, é verdade Mas não há melhor petisco do que a liberdade Ninguém ouve Ninguém ouve Ninguém ouve, irmão

Nenhuma tradução disponívelNenhuma tradução disponível
  • 1

Atividades mais recentes

Sincronizada porAntónio Baldé

One place, for music creators.

Get early access