LyricsHeróis da Vila

Diabo Na Cruz

Last update on: July 21, 2017
No translations availableNo translations available
These lyrics are waiting for review
If you found mistakes, please help us by correcting them.

Nada de novo no pai-nosso desta terra Docs coladas aos estribos da acelera Vamos ao Vouga beijar a ria

Festejar a maré vazia Trazes mortalhas, eu a cassete dos Jesus A viola, a litrosa, um caderno de anotar É, se a sorte ajudar e a gente não se render ‘Inda acabamos a ser Heróis da vila, estrelas do nada Cavalos rebeldes no meio da picada Com pouco mais pra fazer Que escapar ou esmorecer Cotas em filmes ausentes a divorciarem-se Nós ao domingo, todos contentes na praia A dedicar pose de artistas Às namoradas dos surfistas Cinquenta quilómetros contra o vento enquanto a noite cai No prego, no prego Que a lambreta não dá mais Paramos na garagem pró teu pai não saber Ensaiamos até amanhecer Heróis da vila, estrelas do nada Cavalos rebeldes em quem não se apostava Com pouco mais pra fazer Que escapar ou esmorecer Heróis da vila em contos de fadas Reféns improváveis da grande encruzilhada Na corrida, em vias de saber O que o mundo todo quer Quero bem quero Não quero que saibam A quem eu quero Bem como a ninguém Do bem mais sincero Meu querer bem-te-adoro E nem por ti choro Heróis da vila, estrelas do nada Isolados de tudo, no centro da jogada Rapazes com má reputação Que ninguém sabe como são Heróis da vila em contos de fadas À noite, na praça, a cantar sem retirada Vadios, esquisitos, perigosos, marginais Não há na vila outros iguais Heróis da vila, estrelas do nada Cavalos rebeldes no meio da picada Com pouco mais pra fazer Que escapar ou esmorecer Na roda de ilusões Alvos que atraem o escárnio de gozões Mas que um dia a vila haverá de receber Como heróis que viu nascer

No translations availableNo translations available
  • 0

Last activities

Musixmatch for Spotify and
iTunes is now available for
your computer

Download now